DOCERRADO.com
                   
CHAPADA DOS VEADEIROS: TRAVESSIA DAS 7 QUEDAS


3ª Edição, Grupo Draga
Flávio Martins Santos - 05/08/17

A terceira edição da Travessia das 7 Quedas foi o encerramento de um longo período de preparação, treinos, reuniões e uma dedicação especial para aqueles que encararam esta travessia pela primeira vez. A premissa de que a Travessia das 7 Quedas seja uma trilha fácil faz com que muitos acabem vacilando na preparação, com os equipamentos e detalhes importantes que podem fazer o prazer da travessia se tornar uma coisa desagradável e acabar quebrando o encanto desta maravilhosa trilha.

Dia 4/8 o grupo foi se juntando na Vila de São Jorge, depois de acomodados nas pousadas parceiras do DOCERRADO.com alguns caminhantes se encontraram no bar do Pelé para confraternizar e já fortalecer a união do grupo. Muita conversa, risadas e aquela expectativa pela trilha deram um ar especial naquela reunião que foi encerrada pelo toque de recolher da Carolzinha que sempre nos lembra do horário de ir embora.

No outro dia, como combinado, o grupo de 21 caminhantes estava na porta do parque. Aquele rápido papo com as últimas instruções e trilha iniciada. Repetimos a estratégia da segunda edição utilizamos os mesmos pontos de parada e descanso, incluindo aquela parada mais prolongada na travessia do Rio Preto e a tão esperada chegada ao camping. Desta vez utilizamos rádios VHF e o grupo sendo divido em 4 pelotões, sempre com a Carolzinha fechando a trilha.
A chegada no camping é a marca de como cada um realizou a primeira etapa. Alegria, superação e cansaço são as marcas mais comuns, afinal o tão esperado camping vem ao longo da trilha se tornando o troféu daquele percurso.
Camping pronto, banho na 7 Quedas, o preparo do rango, conversas e muita alegria foram a sequência da noite, ainda com a lua cheia, o ar era uma mistura de satisfação, com aquela dose de efedrina e o cansaço querendo que o esqueleto deitasse.
No outro dia a rotina é preparar o café da manhã, desarrumar o camping, arrumar a cargueira, dar aquele último pulo na 7 Quedas e pegar a trilha de volta ao asfalto. O grupo foi numa toada boa, dividido em outros pelotões, todos comunicáveis através de rádio, chegamos a parada da casa dos guardinhas, e depois de um breve descanso a trilha é uma das mais belas da chapada que tem como visual o Morro da Baleia, Jardim de Maytrea e o Morro do Buracão, que já é o indicio que o asfalto está perto, e lá o resgate esperando estes vitoriosos caminhantes.


Agradecemos a participação dos caminhantes:
Elton Castro, Paula Mandarino e Leo Rodrigues, Alexandre Mota, Geraldo, André, Rei, Kell, Vinicius Melo, Sid, Larissa Moura Diehl e o jovem Arthur Diehl, Alan, Adriana, Fabio e Simone, Dani, Paulo e Marcilio Gomide.
Abraço, Flávio Martins e Caroline Constantino.


OPINIÃO DE QUEM FOI

O que achou da trilha?
Excelente, trilha bem aberta e sinalizada, ida mais longa mas com predominância de terreno plano com trechos de subidas mais constantes mas poucos íngremes, só um paredão mais complicado, na volta bastante subida íngreme por pedras e ao final mais retão plano até o asfalto. Belas paisagens pelo caminho, banho no rio gelado revigorante, área de camping ao lado do rio, das Sete Quedas, visual maravilhoso e com um excelente banheiro seco. Condução super competente e atenciosa do Flávio e da Carol, grupo super unido e animado. Nota 1000.

Alimentação nas paradas e durante?
Levei um sanduíche de frango com queijo pro almoço, macarrão integral e atum pro jantar, lanche duas maças, duas mexericas e castanhas, pro café da manhã suco de uva, sanduíche de atum e 2 polenguinhos, levei também 2 barras de proteína, 1 lata de salada de atum, 1 pacote de biscoito Equilibri e um de salamitos que acabaram voltando, ou seja exagerei, a escolha da comida foi o mais complicado pra mim.

O que levaria ou o que deixaria em casa?
Diminuiria a roupa de frio e a comida, especialmente não levaria o atum, o cheiro é muito forte e atrai insetos. E muito importante também que não levei, foi Clorin, levei bastante água, mas não foi suficiente, tive que incomodar os colegas pedindo Clorin, mais Clorin, menos água, menos peso e mais vinho...

Seu condicionamento físico ajudou ou você acha que poderia ter feito melhor a trilha?
O condicionamento ajudou muito mas ainda poderia ter feito melhor.

O que mais fez você se cansar? A distância? O peso da mochila? Ou subidas?
O que mais me cansou foram as subidas mais íngremes da volta sem dúvida, a mochila foi com 12 quilos, mas fui com uma mochila boa e bem ajustada e quase não incomodou, a distância foi bem tranquila.

Obs. e dicas: Os pré-treinos são muito importantes, por mais que façamos outras atividades físicas, elas são diferentes das caminhadas, eu malho 6 vezes por semana e ainda sinto muito cansaço em subidas, nos pré-treinos temos a oportunidade de identificar os nossos pontos fracos e trabalha-los, também podemos ajustar peso de mochila, quantidade de lanche, testar o uso de bastão, temos que ter sempre em mente, a distância, o peso, o tempo, podemos ter mais calor ou mais frio, temos que ficar atentos a tudo.

Adriana Goulart



A trilha é linda! Paisagens que me transportaram para um estado de plenitude. A variedade de flores é de uma beleza única. Ver o cerrado seco e cheio de flores, me fez vibrar com a capacidade de superação da natureza. Embora eu já conheça bem a Chapada, lá eu vi plantas que não tinha visto em outro lugar. Vi uma espécie de candombá (prima da canela-de-ema) que tem as folhas roxas. E também um capim que forma umas touceiras cheias, porém bem pequenininhas e delicadas. Achei impressionante!

Sinto que eu deveria ter me preparado melhor fisicamente para a trilha, pois é bem cansativa. Mas dou umas dicas aos novos aventureiros: leve uma garrafinha de água pra ir molhando a cabeça – o calor e a seca são muito intensos e os primeiros 5 km da trilha tem umas subidinhas fortes que nos deixam meio esgotados; leve pouco peso, seja econômico com as roupas e objetos de camping, não com a comida – o esforço físico dá uma fome...; use bastão de caminhada, ajuda bastante nas subidas; importantíssimo: use tênis um ou dois números maior que seus pés para não sacrificar suas unhas, as minhas ficaram roxas...

Simone Matos e Fábio