SALTO I - RIO CORRENTE

Região: Itumirim [GO] | Relato: Flávio Martins - 03/03/19


2ª PARTE: EXPLORATÓRIA SUDOESTE GOIANO - RIO CORRENTE

Carros de volta na estrada e não tão longe chegamos na estrada de terra que dá acesso até a sede da fazenda. O sol estava presente, o calor e aquele abafado típico desta época que chove e faz sol, fazia o suor descer pedindo um banho de cachoeira para refrescar.

Chegamos e logo fomos recebidos pela família da Dona Claudete, já de cara uma recepção daquelas carregadas de emoções. Gente de fazenda, simplicidade e aquele coração do tamanho do mundo. Todos fazem questão de dar aquele abraço apertado, mesmo sem nem conhecer um ao outro a reciprocidade de amor e confiança fez presença neste acalorado encontro. Querendo ficar ali conversando com uma boa prosa e curtindo aquele aroma da boa culinária de roça, tivemos que tocar o grupo para logo ir conhecer o Salto I do Rio Corrente.

O caminho é bem curto e na descida já é possível ver a força do Rio Corrente. O barulho e o vapor d’água se espalham e ficam mais forte a medida que chegamos perto do salto. Pausa para algumas informações para a descida e em fila fomos com o cuidado redobrado até bem perto do espetacular Salto I.
É forte, largo, barulhento e nem precisa mergulhar, o vapor da água deixa todo mundo molhado. Pausa para as fotos, deslumbre e voltamos para a sede da fazenda. Agora sim, podemos sentar, conversar e logo vem o chamado da Dona Claudete para o almoço... E que almoço!!

Gastamos um bom tempo ali e queríamos ficar mais. Tivemos que partir e a despedida ainda durou mais um bom tempo, afinal aquele recanto da Dona Claudete ficará guardado na memória, no coração e no paladar de todos.

Antes de pegar o asfalto rumo ao Parque Nacional das Emas passamos na Prainha do Rio Corrente. Um local que o rio dá uma acalmada e o banho é quase obrigatório para fugir do calor e aproveitar aquela nossa visita a este belo rio.
O Rio Corrente é a junção do Rio Formoso e Jacuba que nascem dentro do Parque Nacional das Emas e que desemboca no rio Paranaíba, afluente do rio Paraná.

Realmente valeu a penas ter feito está parada no caminho, além de conhecer o Salto 1, a Prainha, a família da Dona Claudete e aquela culinária fabulosa. Certamente ficarão gravados na memória de muitos dos aventureiros e aventureiras desta nossa Expedição.
Obrigado a todos, e vamos em frente que o caminho é longo!!

Embarque nas próximas atividades, entre em contato e vamos nessa!!



VÍDEO